System of a Down Biografia

O ano era 1992 e a cidade era Los Angeles. Ninguém sabia que estava prestes a se formar a maior e melhor banda que todo o mundo moderno já vira.
Ali Serj Tankian trabalhava vendendo softwares. Fã de astros da música pop como Billy Joel, Abba e Bee Gees ele até tocava numa banda.
Certo dia, enquanto ensaiava num estúdio, conheceu Daron Malakian, um jovem guitarrista de origem similar. Ambos não tardaram a descobrir que além de suas raízes armênias, tinham outra coisa em comum: a famosa "afinidade musical".

Largando suas respectivas bandas eles formaram "Soil" que contava com Serj Tankian nos vocais e teclados, Daron Malakian na guitarra, Dave Hakopyan no baixo e Domingo Laranio na bateria. Foi neste período que eles conheceram Shavo Odadjian, um antigo amigo de escola que trabalhava em um banco e tocava baixo e guitarra em uma banda local. Serj e Daron perguntaram para Shavo - devido sua experiência musical e financeira - se ele aceitaria ser o empresário da banda. Trato feito, ele passou, além de assumir o baixo uma vez e outra, a cuidar dos interesses financeiros do Soil.

Meses depois, Dave e Domingo decidiram sair da banda, pois achavam que isso não levaria a nada. Foi então que Shavo assumiu o posto de baixista, deixando seu cargo de empresário para David "Beno" Benveniste. A vaga de baterista foi ocupada por Andy Khachaturian, um velho amigo de Daron nos tempos de escola – eles inclusive tinham uma bandinha da qual Daron era o vocalista e Andy o baterista.

Em meio a ensaios, Daron escreveu um poema chamado "Victims of a Down" e orgulhoso do próprio feito resolveu mostrá-la aos companheiros de banda. Eles adoraram e então, de "Soil" o grupo passou a se chamar "System of a Down". A troca de palavras foi sugerida por Shavo, que achou "System" uma palavra mais forte.

Com a formação completa, o grupo começou a trabalhar em suas primeiras músicas: "P.I.G." (que é a primeira versão da música "Mr. Jack", presente no Steal This Album!), "Flake" e também um cover da música "The Metro" da banda Berlin. Todas estas músicas fazem parte de uma compilação hoje conhecida como "Untitled 1995 Demo-Tape". Pela internet correm boatos de que além destas, foram gravadas outras demos como "Friik!!" (versão de 1995), "36" (também na versão de 1995) e "Roulette" com baixo e bateria (diferente da versão lançada no STA!). A banda lançou oficialmente três fitas demos, a primeira em 1995 contendo as músicas "Suitepee", "Sugar", "Dam" e "P.L.U.C.K.". Em 1996 saiu a segunda, que apresenta as canções "Honey", "Temper" e "Soil". A terceira, que traz em seu tracklist as músicas "Know", "War?" e "Peep-Hole", foi lançada em 1997. Antes da 3ª demo, a banda lançou uma versão promocional desta, que ficou à venda por poucos dias e poucas pessoas a adquiriram. A diferença era que esta versão continha uma faixa a mais, uma ‘jam’ feita durante as gravações. Esta faixa vazou na internet em 2009, quando um fã a adquiriu a demo-tape e decidiu compartilhar a novidade com todos. A faixa (que não tem título) ficou conhecida como "The Missing Song" ("A Música Perdida"), pois até então ninguém sabia de sua existência (exceto os poucos que a tinham).

Os primeiros shows do System of a Down foram realizados em bares e clubes de Los Angeles que são famosos por abrirem espaço a novas bandas, como o Whisky-A-Go-Go, Viper Room e The Palace. Graças à boa repercussão das demos, o SOAD conseguiu se apresentar em lugares melhores e conquistaram um pequeno, mas fiel público.

Em 1997 Andy Khachaturian sai da banda devido a uma lesão em sua mão, sendo substituído por John Dolmayan, que assim como os outros membros da banda também é de origem armênia.

Alguns meses depois, durante uma apresentação no Viper Room em Hollywood, a banda chamou a atenção de Rick Rubin (produtor da American Recordings), que pediu ao grupo que mantivessem contato com ele. A banda gravou mais uma demo-tape, que foi enviada apenas às gravadoras, já os fãs, só tiveram acesso a este material anos mais tarde quando foi disponibilizado na internet intitulado como "4th Demo-Tape". A demo foi enviada à várias gravadoras, porém, a única que se interessou foi a American Recordings (de Rick Rubin), que fechou contrato com a banda. Rapidamente o SOAD entrou em estúdio e foram iniciadas as gravações do primeiro álbum.

Em junho de 1998 é lançado o primeiro CD da banda, simplesmente intitulado de "System of a Down", contendo 13 faixas entre elas os singles "Sugar", "Spiders" e a famosa "War?". O álbum foi lançado também em uma versão japonesa que traz, além das 13 faixas, "Marmalade" e "Storaged", que assim como "Blue", "Friik!!", "The Metro" e "36" foram lançadas na "4th Demo-tape" mas não entraram no CD.

Durante 1999 o SOAD começou a fazer grandes apresentações, inclusive participando do Festival Ozzfest, de onde saiu muito aplaudido e chegou até mesmo a dividir palco com bandas como o Static-X. Naquele mesmo ano, a fim de atender a demanda dos novos fãs que iam surgindo a cada novo show, é lançada uma nova (e dupla) edição do primeiro álbum contendo - além das 13 canções originais , versões ao vivo de "Sugar" , "War?" , "SuitePee" e "Know".

Em 2000 a banda fez shows com Korn, Metallica e Kid Rock e começou a trabalhar em seu próximo disco.
Neste mesmo ano o SOAD gravou um cover da música "Snowblind" do Black Sabbath, que fez parte do tracklist do álbum "Nativity in Black II" no qual foram lançados diversos covers do Black Sabbath gravados por outros artistas.

No final deste mesmo ano, a banda entra em estúdio e inicia as gravações do novo álbum, chamado "Toxicity" e além disso, eles realizam a primeira edição do "Souls", um show beneficente em homenagem às vítimas do genocídio armênio.

No dia 4 de setembro de 2001 foi lançado "Toxicity" que vendou mais de 222 mil cópias apenas na primeira semana e atingiu o primeiro lugar no ranking da Billboard. O álbum permaneceu na liderança até mesmo na semana em que ocorriam os ataques à Nova York, em 11 de setembro, porém, recebendo várias críticas políticas devido ao single de "Chop Suey!", que havia sido lançado recentemente e inclusive foi banido das rádios americanas, pois sua letra tinha grande semelhança aos acontecimentos daqueles dias.

Apesar de não tocar nas rádios, "Chop Suey!" trouxe à banda um enorme sucesso, pois seu vídeo-clipe continuava sendo exibido na talevisão.

Todas as músicas lançadas no álbum foram compostas no mesmo período com intuito de serem lançadas no mesmo, a exceção é a canção "X" que foi composta em torno de 1998 e era tocada em alguns shows da banda na época.
Ainda em 2001, quase no final do ano, vazaram na internet versões inacabadas de músicas que não foram lançadas no Toxicity. Indignada pelo fato de os fãs estarem ouvindo material inacabado, a banda anunciou que iria lançar um novo álbum com todas estas canções em suas versões editadas e finalizadas.

Em novembro de 2002 é lançado "Steal This Album!", cumprindo a promessa feita pelo SOAD no ano anterior, o álbum traz versões finalizadas de todas as músicas que haviam vazado na internet, exceto "Virnginity" (também conhecida como "Cherry" ou "Virgin Tea"), que por motivo desconhecido ficou de fora do CD, e também está presente no tracklist a música "Roulette", cujo a demo foi gravada no início da carreira da banda em uma versão com baixo e bateria, é uma das raridades do SOAD.
O novo álbum não possuí nenhum encarte, o CD vem em uma caixinha comum, e nele está escrito apenas o nome da banda e o nome do álbum em letras manuscritas bem ao estilo "pirata". Traduzindo o nome do disco temos "Roubaram este álbum!", referindo-se ao fato de as músicas terem vazado na internet.

O clipe da canção "Boom!" fez um enorme sucesso e garantiu a venda de cerca de 2 milhões de cópias do álbum. Mas infelizmente o vídeo-clipe foi censurado, pois criticava os governos que fazem guerra, principalmente o americano por causa dos cartoons do Bush, Saddan, Tony Blair e Osama montados naquelas bombas um do lado do outro, caindo e explodindo com elas as cidades.
Steal This Album! também foi lançado com quatro capas diferentes (além da original), sendo cada uma delas desenhada por um membro da banda.

Serj lançou seu livro de poesias intitulado como "Coll Gardens", e em parceria com Tom Morello, funda uma instituição que luta pela justiça social, chamada "Axis of Justice".
Já no final do mesmo ano, a música "Chop Suey!" ganhou o prêmio da MTV L.A.

O ano de 2003 foi o mais "calmo" para a banda. Eles fizeram apenas três shows, um deles no Reading Festival, outro no Leeds Festival e o último tratou-se de um concerto beneficente em parceria com o Red Hot Chili Peppers, em Los Angeles. Neste show ocorreram alguns fatos históricos, como a participação de Kirk Hammet (Metallica) na música "Aerials", a execução de "Boom!", que foi tocada ao-vivo apenas neste evento e "Chop Suey!", o hino da banda que está presente em todos os shows desta vez ficou de fora do setlist.

Ainda em 2003 Serj lança o "Serart" em parceria com seu amigo Arto Tunçboyaciyan - o mesmo que fez participação nas músicas "Bubbles", "Science" e é o autor da faixa escondia que vem logo após "Aerials", conhecida como "Arto"- um álbum de músicas armênias.

Em 2004 é realizada a segunda edição do "Souls", do qual a banda pretendia lançar em DVD, porém acabou não dando certo pois como disse John: "Tudo acaba vazando na internet".
No mesmo ano acontece o show beneficente promovido pelo "Axis of Justice". O Concerto foi laçado em CD e DVD.
Além disso, Daron começou a montar uma nova banda chamada "Scars on Broadway", que apesar do nome, não tem absolutamente nada haver com o projeto que ele lançou em 2008. A banda chegou a lançar uma demo intitulada como "Ghetto Blaster Rehearsals". Uma das faixas presentes era uma versão 'demo' de "B.Y.O.B.", que foi lançada no seguinte ano pelo SOAD.

Já em 2005 a banda anuncia que lançará um álbum duplo, porém em datas diferentes, e também dizem que haviam em torno de 30 músicas já compostas que seriam divididas entre os dois discos. No final das contas, apenas 23 foram lançadas, ficando de fora dos CDs músicas como "Hezze", "174", "Citadel", "Religious People", "Blowing Bubbles", "Annoying Car Alarm", "Antibiotics", "Charades", entre outras que nunca chegaram aos ouvidos dos fãs (exceto "Charades", que saiu no AOJ).

No dia 24 de abril é realizada a terceira edição do "Souls", do qual algumas cenas foram utilizadas na realização do documentário "Screamers".
Em maio é lançado "Mezmerize", a primeira parte do álbum duplo, que traz uma sonoridade um pouco diferente dos anteriores trabalhos da banda. "B.Y.O.B." foi o grande sucesso, levando o SOAD mais uma vez ao topo das tabelas da Billborad com seu novo disco.

É iniciada uma turnê nos EUA e Canadá, e em um destes shows a banda gravou o vídeo-clipe da música "Hypnotize", faixa título do próximo álbum, que já estava sendo executada ao-vivo.
A segunda parte do álbum duplo, "Hypnotize", foi lançada em 22 de novembro, alcançado, assim como o seu antecessor, o topo das paradas trazendo enorme sucesso mundial.
Hypnotize foi lançado também em uma versão "Dual Disc" que acompanha um DVD com cenas da banda em estúdio durante as gravações dos álbuns e os vídeo-clipes de "B.Y.O.B." e "Question!".

Após o lançamento do vídeo-clipe de "Lonely Day" a banda cancela a quarta edição do "Souls" e então, durante uma entrevista, Daron Malakian faz o triste anúncio de que o System of a Down vai se separar (entrar em hiatus) por tempo indeterminado, e que o último show da banda seria no Ozzfest. A última apresentação da banda aconteceu no dia 13 de agosto de 2006. No final do show, todos os quatro se abraçaram em frente ao palco e agradeceram aos fãs.

Desde o início do hiatus da banda até hoje, correm pela internet boatos de que o motivo da separação deles foi uma briga entre Serj e Daron, porém, em entrevistas da época eles esclareceram tudo: não houve nenhuma briga, todos eles são amigos. A banda decidiu tirar estas férias apenas para que cada membro possa lançar seus projetos pessoais, carreira solo, essas coisas.

Em uma outra entrevista, Daron Malakian também disse: "Não vamos acabar. Se esse fosse o caso não teríamos feito o Ozzfest. Após o Ozzfest, vamos fazer uma longa pausa e realizar os nossos próprios projetos. Como banda, temos estado juntos há mais de 10 anos, e eu penso que uma pausa seria algo saudável."

Até então o retorno da banda não possuia nenhuma data definida, ou seja, o System of a Down só retomaria suas atividades quando os quatro membros da banda sentissem vontade, mesmo que isso demorasse 5 ou 10 anos, ou quanto tempo fosse necessário, mas Daron afirma que o SOAD voltaria a ativa.

Todos os integrantes da banda lançaram (em alguns casos ainda lançarão) seus projetos. Para conferir os trabalhos já realizados, clique aqui e acesse a seção "Projetos Paralelos". Nesta página há links para informações sobre a carreira solo de Serj Tankian e também sobre os projetos paralelos de Daron Malakian, John Dolmayan e Shavo Odadjian.

No dia 31 de outubro de 2009, Shavo realiza um evento chamado "Hallow9een - A Night of Surprizes", onde ele faz uma pequena apresentação como DJ. Daron, que não dava as caras desde novembro de 2008, comparece ao evento, e ao lado de John, Shavo e Franky Perez (guitarrista do SOB) realizam uma pequena apresentação onde tocam juntos pela primeira vez após o início do hiatus, a música "Suite-Pee". Serj não pôde comparecer, Daron então, assume os vocais.
Semanas depois e mais uma vez sem o Serj, Daron, Shavo e John fazem uma apresentação ao lado de outros músicos em um evento beneficente ao baixista do Deftones, onde tocam "Aerials" e "Toxicity".
Todos os fãs ficam cheios de esperança por uma possível reunião da banda, porém nada acontece, eles apenas tocaram juntos por duas vezes. O retorno do SOAD ainda não estava decidido.

Em 2010 várias expectativas sobre o retorno do System são criadas. Shavo Odadjian faz algumas participações ao lado de Daron e John em shows do Scars on Broadway, além disso, Odadjian posta em redes sociais mensagens esperançosas sobre o SOAD.
No meio do ano, durante uma entrevista John Dolmayan diz que os membros do System estavam planejando uma possível turnê para 2011, mas que nada estava decidido até então. Também durante uma entrevista Franky Perez faz comentários sobre o SOAD, que deixam um certo suspense e expectativas no ar.

Meses se passaram e boatos sobre shows do SOAD começam a brotar na internet, inclusive um show no Brasil foi divulgado mas logo desmentido pela produção do evento. Ao saber destes fatos membros da banda se comunicam através de redes sociais desmentindo os boatos e deixando claro que quando houvessem novidades, o site oficial seria o meio por onde eles iriam se pronunciar.
No dia 29.11.2010 o fato mais esperado dos últimos anos viria à acontecer: o site oficial do grupo é atualizado confirmando o retorno da banda através do anúncio datas de shows para 2011 na América do Norte e Europa.
Mais tarde (mais precisamente em maio) a presença do SOAD é confirmada no Rock in Rio (Brasil), e dois meses depois novas datas pela América do Sul foram divulgadas incluindo um show em São Paulo, Argentina e Chile.

A inédita passagem do grupo pela América do Sul teve início com o primeiro show da banda no Brasil, realizado na Chácara do Jockey em São Paulo no dia 01 de outubro de 2011. Logo no dia seguinte a apresentação no Rock in Rio é realizada, levando ao delírio mais de 100 mil fans (maior público de toda a carreira deles) na noite de encerramento do festival. Ficou claramente notável o quanto os membros da banda gostaram e se impressionaram com o publico brasileiro, o que já deixa muitos fans com novas expectativas para o futuro.
Ainda na mesma semana o System toca em Buenos Aires (Argentina) e Santiago (Chile), encerrando então a turnê de reunião em 2011.

No início de 2012 a banda realiza a continuação da turnê do ano anterior, com shows na Nova Zelândia e Austrália. Em agosto mais uma etapa é concluída, encerrando então, a turnê de reunião.
Neste meio-tempo, Serj Tankian lança "Harakiri", o terceiro álbum solo de sua carreira. A partir de então, a agenda do musico passa a se dividir, simultâneamente, entre carreira solo e o SOAD. Serj trabalha também em sua primeira sinfonia clássica intitulada como "Orca", e em outros projetos como o "Jazz-iz-Christ" e "Fuktronik".
O Scars on Broadway volta à ativa com shows e promessas de um novo EP e novo álbum para o início de 2013, porém, nada foi lançado e a banda desapareceu novamente.

Já nos primeiros dias de 2013 a banda surpreende seus fãs anunciando as datas de uma nova turnê, passando pela América do Norte, Europa e Austrália.
Pouco antes do início dos shows, Shavo Odadjian arranjou uma tremenda confusão nas redes sociais, acusando Serj Tankian como culpado pelo atraso no lançamento de novos discos do SOAD. Pouco depois a confusão foi esclarecida, e tudo não passou de um ato inconsciente do baixista após 'alguns goles' a mais. Ainda neste período, Serj lançou dois álbuns solo: a sinfônia "Orca" e o disco de jazz alternativo "Jazz-iz-Christ".

A turnê de 2013 é iniciada com um show inédito no Hollywood Bowl, em Los Angeles (CA). Durante as apresentações, surgem vários rumores sobre um novo álbum, porém Serj desmente a todos e dizendo o de sempre: Não estou dizendo que não vamos gravar o novo álbum, mas sim que ele será feito no momento certo, quando todos nós quisermos. O vocalista também anunciou que após os shows o grupo irá tirar férias dos palcos por aproximadamente 2 anos.
Após o término de uma das turnês mais energéticas do System of a Down, Tankian realiza várias apresentações solo, tocando músicas do "Orca" e do "ETDS". John Dolmayan viaja para o Brasil para tirar férias, passando por São Paulo (SP), Fortaleza (CE) e Slavador (BA). Após voltar de seu descanço, o baterista anuncia que irá lançar um álbum de covers em 2014.

Serj Tankian não pára e surpreende o público mais uma vez com um trabalho um tanto diferente: pinturas musicais. "Disarming Time Musical Paints" são quadros pintados por ele mesmo, moldurados com tocadores de MP3 e pequenas caixas de som. Também é lançando o website Eye For Sound, onde ele expõe e vende suas obras. Além disso, Tankian fez uma exposição de estréia de suas pinturas no 'Project Gallery' de Hollywood.

O ano de 2013 termina com (finalmente) a definição da data de lançamento do primeiro álbum do "AchoZen". O projeto formado em 2008 por Shavo Odadjian em pareceria com RZA será lançado dia 22 de abril de 2014 (aniversário de Shavo).
Até então, nenhuma nova data de show, e muito menos novidades sobre o mitológico novo álbum do System of a Down foram lançadas. Mas como sempre dizemos, podemos ser surpreendidos a qualquer momento!