Gibson – Grandes nomes do baixo: Shavo Odadjian

Como Shavo Odadjian, baixista do System of a Down, banda de metal alternativo, ajudou a vender milhões de álbuns e tocar em alguns dos maiores festivais de música no mundo.

Ele viveu o sonho do rock ‘n’ roll. Mas esse não era o plano.

“Com o System of a Down nós não nos tornamos uma banda para vender milhões de discos, ter vídeos, tocar pelo mundo e sermos reconhecidos.”, Odadjian disse para a Ultimate Guitar. “Foi mais tipo, nós nos uníamos e gostávamos do que fazíamos juntos. Por algum acaso, nós fomos aquela agulha no palheiro que foi encontrada, que foi descoberta. Eu estava na faculdade, eu tinha empregos e ainda chegava em casa e fazia o que faço. Mesmo se eu não tivesse a oportunidade de estar onde estou agora, eu ainda estaria chegando em casa fazendo o que faço.”

Faz mais de uma década desde que o System lançou o seu álbum mais recente de estúdio, o último foi o Hypnotize em 2005, mas os fãs não desanimaram. A banda tocou para multidões em 2015, em shows sold-out, na turnê ‘Wake Up The Souls’, que ocorreu em celebração ao centésimo aniversário do Genocídio Armênio. A paixão ainda está lá.

Desde o início da década de 90, Odadjian poderosamente tem tocado em seu Gibson Thunderbird. Foi um ajuste natural. “Quando o System of a Down estava gravando o primeiro disco, eu saí para comprar alguns equipamentos. Achei um Non-Reverse 1966 Thunderbird em algum lugar em Hollywood”, disse à Gibson.com. “Eu acabei usando-o em toda a gravação. Me senti bem. Antes eu estava usando um baixo de uma empresa diferente, e eles me davam quantos baixos eu queria, em todas as cores que eu poderia imaginar, mas eu não gostei de nenhum deles tanto quanto o Thunderbird. Estas Gibson’s antigas são as Rolexes e Cadillacs das guitarras”. Ele acrescentou: “Elas são todas de qualidade. Só de segurar este baixo me fez sentir diferente. Você tem que lutar um pouco com ele para fazê-lo ser seu, porque isso tem um headstock pesado que mergulha até o chão se você soltar o braço do baixo. Mas uma vez que eu dominei, eu pude ir para qualquer lugar”.

Mesmo que Odadjian seja conhecido por sua forma de tocar baixo, ele é simplesmente um artista. “Eu sou mais feliz quando estou criando algo. Eu escrevo música. Eu faço vídeos. Eu desenho. Eu pinto”.

Quanto ao futuro, Odadjian disse à Rolling Stone em 2015 que músicas novas não estão fora de questão. “Quanto a nós, estamos retrocedendo em torno da ideia (de um novo álbum) um pouco agora”, ele disse. “Agora nós estamos desfrutando o que fazíamos quando começamos, que era de tocar música ao vivo. Nós somos uma banda ao vivo que começou a gravar. Então, agora nós estamos apenas tocando um monte de coisas ao vivo.”

Nenhum comentário