John Dolmayan planeja construir a maior loja de quadrinhos de Las Vegas

John Dolmayan é uma espécie de guru do investimento dentro da indústria da música. Ele não tem um fundo de finanças, e ele acha que as ações são uma péssima compra. Mas o baterista do System of a Down conhece histórias em quadrinhos – especificamente, como obter raridades e rodar as histórias de super-heróis para fãs e colecionadores. Dolmayan encorajou Heidi Woan, a esposa de Joe Hahn, DJ do Linkin Park, a comprar ao marido uma edição de US$ 10.000 do ‘O Incrível Hulk’, número 1, que atualmente vale mais de US$ 40.000 e ele também obteve uma versão extremamente rara do ‘Action Comics’ de 1938 número 1 da coleção de Jack White.

“Literalmente, Jack White fez milhões de dólares”, diz Dolmayan. “Enquanto os investidores ouvirem meu conselho, continuarão fazendo.”

Os 25 anos de experiência da indústria de Dolmayan estão em exibição enquanto ele lidera uma turnê com a ‘Torpedo Comics’, a loja que ele possui e opera na Lindell Road, perto de Blue Diamond Road. Ainda há um “cheiro de carro novo” em toda a loja, embora isso possa realmente ser o cheiro de dinheiro vindo do salão privado, onde os clientes, acompanhados por uma escolta, podem ver o inventário de materiais raros da ‘Torpedo Comics’, dos quais o mais caro (atualmente) é uma edição de $62.000 do ‘The Amazing Spider-Man’ número 9, que apresenta a primeira aparição do vilão Electro.

“Há uma abundância de bens imobiliários, e [com] estoques não temos garantia. Mas com os quadrinhos, eles apenas fizeram o quanto eles fizeram naquele mês”, ele diz, segurando uma cópia de US$ 1.200 do ‘The Fantastic Four’ número 52, uma edição de julho de 1966 famosa por outra primeira aparição: Governante de Wakandan e a futura estrela de cinema, Pantera Negra.

“Nunca haverá outras edições feitas deste aqui”, ele diz. “Se você quer o original, você tem que encontrar um que sobreviveu àquela época.”

Dolmayan, de 43 anos, tem caçado quadrinhos raros desde o início da década de 90, quando começou a negociar sua coleção em pequenas convenções em estádios de baseball e convenções de quadrinhos em Los Angeles. Era frequentemente um esforço infrutífero, exigindo com que o jovem músico transportasse caixas com as edições e racks de exibição para dentro e fora do seu Chevy Beretta 1988, enquanto embolsava pouco dinheiro.

“Minha terceira ou quarta [convenção] me custou US$ 30 para fazer. Ganhei $10 e também ganhei uma multa de 200 dólares”, lembra ele. “Foi um dia ruim.”

Apesar de suas primeiras dificuldades, Dolmayan estava fazendo contatos, obtendo uma educação na indústria e aumentando uma coleção invejável de livros altamente procurados da idade de prata, incluindo a primeira edição de ‘Uncanny X-Men’ e ‘The Amazing Spider-Man’ número 50, famosa pela história “Spider-Man No More!”.

“Eu estava construindo uma vida. Eu nunca fui uma criança que ia para a faculdade”, admite. “Eu passei todas as minhas horas de aprendizagem atrás de um kit de bateria. Eu fui demitido de cada trabalho que eu tive, exceto para ser baterista”.

Aos 25 anos, Dolmayan ganhava US$ 60 mil por ano vendendo quadrinhos.

“Naquele momento, tive que levar parte do pagamento para participar do System of a Down,” ele diz.

Quando ele estreou como baterista em 1997, a banda ainda era recente e ainda tinha que lançar seu álbum homônimo. O primeiro ano de turnê com o System, “nós não fizemos grana”, Dolmayan brinca, mas ele foi capaz de voltar ao seu passado com seu conhecimento de colecionador para arcar com as despesas.

“Nós íamos para as cidades e não tínhamos nada para fazer, então eu abria as listas e encontrava lojas de quadrinhos locais”, ele lembra. “Eu encontrava duas ou três lojas e comprava livros, voltava para Los Angeles e os vendia para lucrar. Eu fiz isso por anos. Sempre que a banda estava inativa, eu voltava a vender quadrinhos.”

Em 2003, Dolmayan estabeleceu-se em Las Vegas, e seu negócio que era no porta-malas de um Beretta se transformou em uma outlet online que ficou rentável mesmo nos piores anos da cidade. Lamentando que muitas lojas de quadrinhos modernos se tornaram “lojas de jogos glorificados”, ele vê uma abertura para um lugar onde colecionadores casuais e aqueles com bolsos profundos podem mergulhar nos “personagens, cultura e mitologia dos quadrinhos”.

Dolmayan também está planejando a próxima fase da Torpedo Comics, uma expansão de 1.828 metros quadrados de espaço no armazém onde sua loja está localizada. Com 60.000 itens modernos atualmente em estoque, ele quer construir a maior loja de Las Vegas – até 270.000 publicações – no próximo ano.

“Eu não quero 18 locais, eu quero o melhor local”, ele diz. “A primeira vez que entrei numa loja, tudo ganhou vida. Era como este mundo de fantasia que eu entrei. Quero replicar isso.”

Nenhum comentário