Serj Tankian fala sobre planos para o futuro

Serj Tankian fala sobre planos para o futuro
David Farrier do portal 3news da Nova Zelândia realizou uma entrevista com Serj Tankian abordando assuntos sobre seu show único no sábado (29) em Christchurch, com Orquestra Sinfônica de Christchurch para realizar músicas da sinfonia 'Orca' e músicas do 'Elect The Dead Symphony'.

David questionou também sobre planos futuros de Serj. Ao falar de John Psathas, compositor da Nova Zelândia que está trabalhando com o Serj desde os trabalhos do 'Elect the Dead Symphony', Serj explicou sobre um novo trabalho que surgirá em breve:

"Na verdade, estamos trabalhando juntos agora fazendo uma nova peça, ela é chamada '100 Anos', e a teremos no próximo ano. Será sobre genocídio e holocausto. É um tema pesado. É uma bela peça, que vai desde a parte étnica para o orquestral e para muitas coisas diferentes, e nós estamos tendo amigos de todo o mundo que participam tocando nela. E nós vamos estar exibindo em vídeos, também a gravação de seu áudio, e, basicamente, obtendo seu próprio selo emocional e espiritual sobre a peça. E vamos exibi-la em festivais, também, provavelmente, no YouTube entre outros."

"Queremos trazer a consciência para o fato de que ainda existe - mesmo com a convenção de genocídio na ONU, e todos estes diferentes comitês e sub comitês criados para combater o genocídio - genocídio ainda é uma doença humana moderna que não é totalmente cuidada pela comunidade internacional. Vimos em Darfur, por exemplo, os chineses tinham laços econômicos que não recuariam. Então, precisamos ter algum tipo de estrutura que faça do genocídio, ou holocausto, uma espécie de "zona de exclusão aérea": Sempre que está acontecendo, todas as nações quebram laços imediatos, se reúnem e discutem ajudas humanitárias, etc. Também estamos vendo com a Síria - necessariamente não chamo isso de genocídio - mas nós estamos vendo com a guerra civil síria o quão confuso é a Comunidade Internacional. Não sei de que lado apoiar. Sabe, você tem um tirano, de um lado, e então você tem grupos terroristas do outro lado, juntamente com uma parte verdadeiramente rebelde da população, tem violência sectária, tem facções religiosas... é difícil, sabe? Mas temos que tomar uma posição contra esta doença moderna chamada 'genocídio'".

Em outro assunto, David perguntou para Serj sobre suas pinturas. Ao explicar, Serj revelou o que deve fazer em 2014 e falou sobre seus planos futuros.

Mudando totalmente de assunto, você esteve pintando, certo?

"Eu venho fazendo arte pela primeira vez! Eu tenho pintado e criado essas pinturas musicalmente interligadas. E nós desenvolvemos um aplicativo chamado "Eye for Sound" que permite que você leve o seu dispositivo móvel e através do reconhecimento óptico, o telefone permite que se ouça música enquanto visualiza uma pintura ou uma peça de escultura. Portanto, temos um número de amigos artistas que se juntaram a esta comunidade "Eye for Sound". Estamos fazendo uma multi-arte, exposição multimédia. Estamos à procura de fazer algo em Los Angeles este ano e também estamos pesquisando para fazer algo grande em um museu em Auckland no início do próximo ano. É emocionante e muito original, pois o mesmo artista está fazendo tanto o visual quanto a peça musical também. Então ambos completam o quadro juntos. E estamos também procurando falar com artistas visuais aqui na Nova Zelândia que possuem habilidade musical, que tocam piano e fazem outras coisas, então nós queremos incorporar talentos também."

Você está basicamente incapaz de ficar um tempo livre, certo?

"Não me veja assim cara, estou na boa. Estou em uma fazenda, relaxando, trabalhando um pouco. Vou viajar menos. Já diminuí este ano. Vou passar mais tempo na fazenda aqui na Nova Zelândia e curtindo minha vida, plantando vegetais e bonitos pomares. Compondo e adubando. Isso é a minha coisa nova! Compondo a compostagem [processo biológico de transformação do material orgânico], tudo no mesmo dia. Eu juro, eu saio e trabalho em uma fazenda por duas ou três horas, sentindo o suor no corpo e fisicamente notando a diferença que você faz na terra, e então chegando - banho [risos] - começo a trabalhar na música e faço algo criativo. Música ou pintura. Ambos são iguais, realmente. É uma continuação, um para o outro."

Tradução: Mau
Espalhar
Postado por Vander Amorin