‘Diferenças criativas’ dificultam novo álbum do System of a Down, diz Shavo Odadjian

System of a Down

Shavo Odadjian concedeu na tarde de ontem (13) uma entrevista ao radialista Eddie Trunk, durante o programa ‘Trunk Nation’ na rádio americana SiriusXM. Entre os assuntos abordados, o baixista do System of a Down falou novamente sobre as diferenças criativas que foram cruciais pela inatividade da banda nos últimos anos.

Nós não gravamos nada há 12 anos, mas ainda tocamos ao vivo. Nós fazemos turnê, não com a frequência que eu gostaria. Nós não odiamos uns aos outros. Nós saímos, nos divertimos muito, o problema é que não fazemos música juntos. O que, honestamente, é meio frustrante. Sei que nós podemos fazer um som poderoso juntos.

Perguntado se há registos de novas músicas que foram escritas para um possível álbum do System of a Down, Shavo disse: “Sim, existem. Sem gravações. Há dois anos nós nos juntamos, os três, menos Serj Tankian. Na época ele estava fazendo muitas coisas solo, e escrevemos cerca de 10 ou 11 músicas. Daron trouxe sete ou oito músicas, e eu levei quatro ou cinco ideias para se tornarem músicas, e elas realmente se tornaram, faltando os vocais de Serj, claro. Foi muito bom. Tudo ocorreu muito bem. E espero um dia voltar a essa rotina e usar alguns materiais do Serj. Eu sei que o Serj possui algumas coisas.”

Ao ser questionado sobre a pressão na incapacidade do System of a Down em não gravar novos materiais, Odadjian falou: “Cara, em meu modo de pensar, o motivo disto não estar acontecendo é uma grande questão. Acho que podemos superar qualquer coisa, porque não é como se alguém tivesse feito algo grave a ponto de ser insuperável. Não é nada disso. Ao meu entender, são apenas diferenças criativas que já duram um bom tempo. Faz tanto tempo que nem lembro o motivo no qual não somos capazes de fazer novas músicas neste momento. Eu realmente adoraria estar fazendo isso. Como eu disse, se dependesse de mim, nunca teríamos parado. Provavelmente estaríamos em nosso nono ou décimo álbum atualmente.”

Ouça no player abaixo (em inglês):

Nenhum comentário