Serj Tankian fala sobre sua vida na Nova Zelândia

Serj Tankian (solo)

Por Matthew Theunissen | NZ Herald.

A pacata cidade ao norte de Auckland não se encaixa no estilo de vida típico de rock ‘n’ roll, mas Serj Tankian sempre desafiou o convencional.

O frontman do System of a Down agora chama Nova Zelândia de casa, e vive em uma propriedade rural a cerca de uma hora de carro ao norte de City of Sails.

Seu caso de amor com a Nova Zelândia começou há 13 anos depois de sua banda vencedora do Grammy realizar o Big Day Out.

“Eu tive uma conexão intuitiva, um sentimento de pertença que eu nunca senti em outro lugar”, ele disse ao Herald on Sunday.

Tankian é reverenciado no cenário de hard rock. Sua banda no topo das paradas foi indicada para quatro Grammy Awards – vencendo uma vez com o melhor desempenho de hard rock em 2006 – e vendeu 12 milhões de cópias de seu álbum de 2001, Toxicity.

A vida poderia ser “intensa” na população em massa de Los Angeles, isso é parte da razão do homem de 47 anos de idade se mudar para a Nova Zelândia.

Tankian não vai revelar a localização do seu ‘esconderijo’ por medo de ser perseguido pelos fãs, como o vocalista do Killing Joke, Jaz Coleman, tem feito em sua residência em Great Barrier Island. Mas ele é mais do que feliz falando sobre o por que ele abandonou a Califórnia.

“Os Kiwis [como são conhecidos os Neozeolandeses] são calmos e diplomáticos. Ninguém pula em você e tenta arrancar sua cabeça. Isso faz você se sentir confortável”, disse ele.

A lista de músicos que já apareceram para uma visita, faria qualquer fã de rock que se preze, verdes de inveja. “Tom Morello [guitarrista do Rage Against The Machine] estava aqui no ano passado para tocar com o Bruce Springsteen. Ele veio e nós fomos para um bom mergulho com alguns peixes” disse Tankian. “Maynard James Keenan [vocalista do Tool] veio à nossa casa há alguns anos. Conheci o Trent Reznor [Nine Inch Nails] depois de seu show no ano passado.”

Tankian disse que a Nova Zelândia lhe permitiu o espaço que impulsionou a sua criatividade. Ele escreveu a maior parte de seu material solo mais recente aqui e colaborou com a Orquestra Filarmônica de Auckland.

“Eu gostaria de estar em um ambiente mais isolado. Auckland é bastante habitado, obviamente, mas eu só preciso de um ambiente mais calmo para criar.”

Tankian também é um artista talentoso e está por trás da exposição Asahi – Eye For Sound, que termina hoje, uma temporada de duas semanas, no Silo 6 de Auckland.

Eye For Sound é uma fusão de arte, música e tecnologia, com pinturas, acompanhadas por pedaços de músicas acessados em um aplicativo de smartphone.

“Sempre quis saber sobre a ligação entre a música e efeitos visuais. Eu estava curioso para ver como isso iria funcionar, e a realização foi que a experiência multissensorial é mais poderosa do que uma única experiência sensorial na arte e na música.”

Enquanto Tankian é agora um residente orgulhoso na Nova Zelândia, a sua música ainda lhe coloca longe de seu paraíso cênico, incluindo a próxima turnê do System of a Down na Europa, Canadá e América do Sul.

Comentários (5)

  • Fearless Endless

    O Brasil é tão merda que a turnê nem vai dá uma parada aqui. Partiu Canadá ou Japão.

    • Davi João (Só os fortes)

      é, é tão merda que em 2013(eu acho) o John veio passar ferias aqui, muito bosta mesmo, para de pagar de brasileiro com complexo de inferioridade assim que começa uns Ed Mota da vida

      • Fearless

        Não complexo nenhum meu chapa, é realidade. Ele foi passar ferias aonde? em SP? RJ? BH? A realidade de boa parte dos brasileiros é dificil é várias questões, ensino de baixa qualidade na maioria das cidades (Tirando a cidades grandes), hospitais fuleiros e com uma sociedade que reclama reclama reclama e não faz nada. Você é de que mundo pra falar isso?

        • William Marques

          Deixa de frescura que eu fui no show deles em SP, foi pica! 😊

  • William Marques

    Nova Zelândia! ❤️