System of a Down não conseguiu fazer o tipo de álbum que gostaria de gravar, diz Daron Malakian

Rádio ALT 949 entrevista o guitarrista do System of a Down e Scars on Broadway:

Daron Malakian prefere tocar em locais pequenos, então quando ele subir ao palco no Observatory North Park com o Scars on Broadway, será satisfatório para ele.

Malakian, que está acostumado a fazer shows em estádios com sua outra banda, o System of a Down, diz que seu projeto paralelo oferece a ele o melhor de ambos os mundos.

De fato, muitas das faixas que Malakian escreveu para o Scars on Broadway, ele estava guardando para o System of a Down. Depois de alguns anos, ele sabia que não podia mais se acomodar neste ponto.

“Toda vez que fazíamos uma turnê ou algo com o System, começávamos a conversar sobre a possibilidade de fazer um álbum, então pensei que talvez fosse melhor guardá-las [as composições]. Eu estava me segurando nestes materiais para ver o que iria acontecer. Nós não conseguimos resolver algumas coisas olho no olho, então não fizemos o tipo de álbum que gostaríamos de ter feito.”

Passado alguns anos, muitas destas músicas estão agora no Dictator, álbum lançado pelo Scars on Broadway em julho do ano passado.

A música ‘Guns are Loaded’, do álbum Dictator, apresenta um videoclipe cheio de efeitos distorcidos – caleidoscópio, máscaras, caveiras e faces assustadoras.

Ao trabalhar no conceito do vídeo, Malakian foi desafiado a encontrar colaboradores que permitissem que a música fosse o que é, uma música.

“Por alguma razão as pessoas sempre tentam envolver minhas músicas com algo político, e nem sempre as composições possuem esse cunho. Então eu criei um conceito para chegar a um vídeo que tinha mais arranjamento do que uma declaração política, ou algo do tipo.”

Quando perguntado se teremos novas músicas do System of a Down, Malakian disse: “Eu não vejo isso acontecendo tão cedo. Eu odeio ser pessimista, mas estou apenas sendo sincero.”

A banda continua tocando, mas não produz novas músicas desde 2005. Apesar das especulações de que há um clima tumultuado entre os membros, Malakian diz que todos são amigos, eles só têm diferenças criativas.

“Existe uma diferença entre tocar as músicas antigas, subir ao palco e curtir isso. Acho que gostamos disso. Não tenho certeza se gostaríamos do processo de criação de álbuns juntos neste momento.”

Malakian, por sua vez, prefere ver a música como uma arte, algo que ele sente que se perdeu quando a indústria da música se dirige numa direção mais corporativa. “Se transformou em uma máquina, dessas que as pessoas não veem mais a música como arte, algumas pessoas, não posso dizer que todo mundo”. Malakian, cujos pais são ambos artistas, prefere pintar com pinceladas largas, usando pincéis diferentes.

“Eu uso o estilo musical do jeito que um artista usaria cores em uma tela, e não gosto de usar apenas uma ou duas cores, é por isso que com a música que eu escrevo, você encontrará vibes diferentes. Terá heavy metal, mas também outras coisas, uma vibe mais étnica, rock clássico, puxo de muitas vertentes diferentes e não me limito, estaria entediado se eu tocasse em uma banda pesada o tempo todo”, disse Malakian.

O Scars on Broadway estará no Observatory North Park, em San Diego, no próximo domingo (03).

Nenhum comentário