John Dolmayan fala sobre o SOAD: ‘Ainda temos muita música dentro de nós’

System of a Down

Em uma nova entrevista à série “Action Figures”, John Dolmayan falou sobre o sucesso do System Of A Down ao longo da carreira, e revelou que nunca quis que a banda parasse de fazer novas músicas ou turnês.

Ao apresentador Richard Allan (via Blabbermouth), o baterista disse que em sua opinião o hiato feito em 2006, que perdurou por cinco anos, foi uma terrível atitude tomada pela banda.

“Eu nunca quis que o System fizesse um hiato”, disse ele. “Acho que foi uma jogada desastrosa para nós, porque nunca atingimos nosso pico. Ainda sinto que temos muita música dentro de nós. E, por maior que seja a banda – somos um grande atrativo internacional e aqui nos Estados Unidos – Acho que poderíamos ter sido a maior banda do mundo, por que não conseguir isso se você tem potencial?

Então eu sinto que sim, o System Of A Down é uma ótima banda. Temos ótimas apresentações ao vivo e estou muito orgulhoso do que conquistamos. Mas nós chegamos até aqui [aponta para um lugar na mesa]. Poderíamos ter chegado até ali [aponta para outro local mais distante]. Não significa que ainda não podemos, mas é improvável, porque se você não pode colocar o ego de lado, então tire essa capa e coloque lá. Entre em uma sala e trabalhe com todo mundo, faça o que for melhor para a banda. Se todos não estão pensando no que é melhor, a banda não tem escolha. A definição de uma banda é o altruísmo. Isso é a sociedade, não é? Juntos fazemos algo grande. Sozinhos, podemos nem mesmo sobreviver.

Para mim, há muita tristeza associada a isso, porque o projeto solo do guitarrista Daron Malakian, o Scars On Broadway, é bom. Os projetos solo de Serj são bons, mas eles não são nada comparados ao System Of A Down”, ele continuou. “Quando paramos, um álbum mais, você está falando de uma outra conversa.”

Afinal de contas, nós já alcançamos muita coisa. Nossos epitáfios já estão escritos. Os filhos dos meus filhos vão poder dizer, ‘Aquele era meu avô, e ele estava naquela banda, veja o que eles fizeram’. Eles serão capazes de ouvir isso enquanto a humanidade existir, eu acho.”

“Sempre que você não atinge seu potencial, é uma tristeza”, acrescentou John. “E por falar nisso, nosso potencial poderia ser de 10 álbuns lançados. Mas se foi desta maneira, chegando até aqui, posso ir embora dizendo, ‘Eu fiz tudo que podia’. Assim você pode passar o resto da sua vida feliz. A pior coisa é ter 50 anos, sentar em uma sala, fazer algo que você miseravelmente faz, e pensar que tudo foi por sua causa, porque não teve coragem de dar tudo de si.”

A entrevista pode ser conferida no player abaixo (em inglês):

Nenhum comentário