Revista elege as 10 músicas mais “malucas” da discografia do System Of A Down

System of a Down

A revista americana Revolver ranqueou as 10 músicas mais engraçadas, estranhas e bizarras da discografia de cinco discos de estúdio do System Of A Down. Confira abaixo as justificativas e a lista!


Por Eli Enis | Revolver Magazine

Apesar das letras politicamente carregadas e o talento natural para compor, o System of a Down é mais conhecido por ser absolutamente estranho. Os ícones armênio-americanos do metal alternativo gravaram inegavelmente algumas das músicas de metal mais malucas da história do gênero, graças ao seu estilo musical inimitável, letras excêntricas e vocais animados. Até mesmo seus sucessos como “B.Y.O.B.” e “Chop Suey!” são absolutamente normais em comparação com outras canções. Destacamos as músicas mais enlouquecedoras que eles já fizeram. Abaixo, estão as 10 músicas mais loucas do System of a Down.

10. “Mind”

“Mind” é a música mais longa do repertório do System of a Down e, por esse motivo, uma das mais bizarras. Chegando na segunda metade do álbum homônimo de estreia de 1998, esta faixa de seis minutos soa como três cortes do SOAD comprimidos em um, dando-lhe um ritmo estranho e às vezes tumultuado que é diferente de qualquer outra coisa que eles já fizeram.

9. “Science”

A obra da banda de 2001, o Toxicity, é o álbum que os transformou em verdadeiras estrelas do rock graças a sucessos como “Chop Suey!” e “Aerials”, e é provavelmente o disco mais sério da banda até hoje. “Science” é uma meditação sóbria sobre os fracassos da industrialização e do progresso humano, mas também contém uma seção intermediária seriamente viajada que apresenta o músico turco vanguardista Arto Tunçboyaciyan, que também aparece na faixa oculta igualmente bizarra do álbum.

8. “Suggestions”

Esta faixa do álbum de estreia começa normal o suficiente para uma música do SOAD, mas uma vez que os gritos rasgados de Tankian entram, ela soa como um Pato Donald furioso. As coisas relaxam novamente durante a ponte instrumental barulhenta, apenas para ficar ainda mais estranha quando ele coloca um estridente agudo para narrar um dos personagens atormentados da música durante o encerramento.

7. “U-Fig”

A maioria das bandas abandona suas qualidades mais excêntricas quando atinge um certo nível de sucesso comercial, mas não foi o caso do SOAD. Seu álbum mais recente, Hypnotize de 2005, contém algumas das músicas mais malucas de seu repertório, no clímax escaldante de “U-Fig”, o grupo se debate violentamente entre as palhetadas da guitarra e os gritos frenéticos de Tankian sobre derreter ao sol.

6. “This Cocaine Makes Me Feel Like I’m on This Song”

Honestamente, o título da música diz tudo. Este outro bate-cabeça animado do Mezmerize imita as quedas em uma montanha-russa e mergulhos em uma substância. Tudo é uma grande viagem, mas a melhor parte é ouvir Tankian alternar as palavras “gonorréia, gorgonzola”, como uma boba canção infantil.

5. “CUBErt”

“CUBErt” é uma das canções mais curtas do álbum autointitulado, e também uma das mais peculiares. Entre as linhas instáveis e melódicas da guitarra durante o verso e os gritos de Tankian animalescos quando a distorção começa, esta jam, que compara os humanos à uniformidade produzida em milho enlatado, é desequilibrada e perturbadora mesmo para os padrões do SOAD.

4. “I-E-A-I-A-I-O”

Depois que a banda estourou com o Toxicity, eles lançaram um álbum no ano seguinte que foi praticamente um “foda-se” para a indústria que eles começaram a habitar. Steal This Album! é, sem dúvidas, o álbum mais excêntrico e menos acessível deles, e “I-E-A-I-A-I-O” é um dos destaques delirantes, repleto de trava-línguas pornográficos como: “Peter’s pecker picked another pickle bearin’ pussy pepper.”

3. “Cigaro”

“Cigaro” começa com um dos momentos mais pesados e death-metal do repertório da banda, mas então, de repente a música corta para o guitarrista Daron Malakian zombar: “My cock is much bigger than yours”. Esta faixa histérica do Mezmerize é um comentário satírico e ironico sobre o absurdo do imperialismo, e o SOAD enfatiza a metáfora: “My cock can walk right through the door/With a feeling so pure/It’s got you screaming back for more.”

2. “Vicinity of Obscenity”

“Vicinity of Obscenity” possui algumas das letras mais estranhas do SOAD e algumas das performances vocais mais malucas de Tankian. Esta profunda faixa do Hypnotize chicoteia entre pontes ao estilo funk dos anos 70 sobre prostitutas, versos saltitantes onde Tankian grita ininteligivelmente e um gancho onde ele usa sua metralhadora vocal para espalhar várias vezes as palavras “Banana terracotta pie”.

1. “Chic ‘N’ Stu”

“Chic ‘N’ Stu” é uma música tão ridícula que é notoriamente detestada pelos fãs. A faixa de introdução do intrigante Steal This Album!, de 2002, é sobre… pizza! Bem, tecnicamente é sobre a cultura do consumismo, mas seu refrão icônico mostra Tankian e Malakian cantando a frase, “Pepperoni and green peppers, mushrooms, olive, chives”, como se estivessem estrelando algum tipo de musical sobre a entrega de um pedido. Está longe de ser a melhor música do SOAD, mas leva para casa o ouro na categoria “estranha”.


*Observação: Todas as análises, palavras e opiniões expressas nesta publicação são do jornalista Eli Enis, da Revolver Magazine.

Nenhum comentário