System Of A Down grava vídeo e agradece fãs: “Maravilhados pela gratidão de todos”

O System Of A Down gravou um vídeo para agradecer o apoio dos fãs e para falar sobre a mensagem por trás dos dois novos lançamentos, as faixas ‘Protect The Land’ e ‘Genocidal Humanoidz’ – após 15 anos.

As músicas foram gravadas e lançadas por motivos amplamente necessários: conscientização global e auxílio aos afetados no conflito étnico-territorial que perdura há anos e que voltou a se intensificar no último mês em Nagorno-Karabakh (conhecida também por Artsakh), região povoada em sua maioria por armênios nativos.

Leia abaixo a mensagem do vídeo.

“Estamos maravilhados pela gratidão de todos, pelo incrível apoio à nossa campanha em prol do povo de Artsakh e pela ajuda na arrecadação de mais de 600 mil dólares em doações para atender aqueles em extrema necessidade por meio da organização Armenia Fund. Graças a vocês, poderemos ajudar os civis que foram deslocados, jovens e idosos afetados pelos horríveis crimes de guerra infligidos a Artsakh pelo Azerbaijão e pela Turquia. Por favor, dedique alguns minutos para assistir a nossa entrevista completa para ter uma visão mais profunda e entender porque nos unimos para lançar ‘Protect The Land’ e ‘Genocidal Humanoidz’. Para nós quatro, é extremamente importante compartilhar esses fatos com vocês. É por nossos ancestrais, nossa cultura e nossa nação. Ajude-nos a espalhar a mensagem.

‘Protect The Land’ e ‘Genocidal Humanoidz’ estão disponíveis para compra em nossa página oficial do Bandcamp, onde as receitas da banda irão para a Armenia Fund. Nossa declaração na íntegra pode ser encontrada lá [Leia a tradução no final desta publicação]. Os fundos das pré-encomendas do Bandcamp junto com os lucros da nossa nova coleção de merchs serão usados para fornecer uma crucial, desesperada e necessária ajuda com suprimentos básicos para aqueles afetados pelos atos hediondos que acontecem em Artsakh pelas mãos dos atuais regimes corruptos de Aliyev no Azerbaijão e Erdogan na Turquia. Considere a oportunidade de baixar essas músicas como um ato de caridade, independentemente de como você decida ouvi-las hoje, amanhã e nos próximos anos.”

O baterista John Dolmayan teme que outro genocídio, como o do século passado, aconteça na Armênia. De 1915 a 1923 o Império Turco-Otomano promoveu um dos massacres mais brutais da história da humanidade. Cerca de 1,5 milhão de armênios foram mortos pelo regime turco. Dolmayan disse:

O que esperamos é que o que ocorreu em 1915 [o genocídio armênio] e o que aconteceu tantas vezes na história não se repita.

O vocalista Serj Tankian falou sobre a importância de uma pressão em cima dos governantes para sancionar os regimes ditatoriais. No lado musical, para Tankian, a reunião do System Of A Down veio no momento certo.

É uma injustiça à qual queremos que as pessoas prestem atenção, e é por isso que estamos fazendo isso, para que possam, por sua vez, informar seus próprios órgãos de governo para um retorno adequado. Vivemos em uma grande democracia, uma vez que a sua voz for alta os governantes terão que dar um retorno, e como o John disse, é uma questão moral, uma questão humanitária, uma guerra que está sendo conduzida de forma proposital. Como System Of A Down, esta tem sido uma ocasião incrível para nos reunirmos, colocar tudo de lado e falar pela nossa nação como um só.

Assista o vídeo abaixo (em inglês):


Declaração do SOAD

“Nós, como System Of A Down, acabamos de lançar novas músicas pela primeira vez em 15 anos. A hora de fazer isso é agora, pois juntos, nós quatro temos algo extremamente importante a dizer como uma voz unificada. Essas duas faixas, “Protect The Land” e “Genocidal Humanoidz”, falam de uma guerra terrível e séria sendo perpetrada em nossas pátrias culturais: Artsakh e Armênia.

Em 27 de setembro, as forças armadas do Azerbaijão e da Turquia (junto com terroristas do Estado Islâmico da Síria) atacaram a República de Nagorno-Karabakh, que nós, como armênios, chamamos de Artsakh. Durante o mês passado, civis, jovens e idosos, foram despertados dia e noite pelas imagens e sons assustadores de ataques com foguetes, bombas caindo, mísseis, drones e ataques terroristas. Eles tiveram que encontrar refúgio em abrigos improvisados, tentando evitar a queda de ilegais bombas de fragmentação que aterrisaram em suas ruas, casas, hospitais e locais religiosos. Os agressores incendiaram suas florestas e ameaçaram a vida selvagem usando arma de fósforo branco, outro armamento proibido.

E por que?

Porque há 30 anos, em 1988, os armênios de Nagorno-Karabakh (que na época era um território independente dentro da URSS), estavam cansados de serem tratados como cidadãos de segunda classe e decidiram declarar sua legítima independência da República Socialista Soviética do Azerbaijão cujas fronteiras se engolfaram. Isso acabou levando a uma guerra de autodeterminação pelos armênios em Karabakh contra o Azerbaijão, que terminou em um cessar-fogo em 1994, com os armênios detendo o controle de suas terras ancestrais e mantendo sua independência até os dias atuais. Nosso povo vive lá há milênios e, para a maioria das famílias, é a única moradia que eles, seus antepassados e mães já conheceram. Eles só querem viver em paz como há séculos.

Há uma urgente necessidade para que os cidadãos globais despertem seus respectivos governos a não apenas condenar as ações dos líderes corruptos do regime do Azerbaijão e da Turquia, mas que também insistam que os líderes mundiais ajam com urgência para trazer paz à região e legitimamente reconheçam Artsakh como uma nação independente. Mais importante e urgente: nós humildemente imploramos que você doe, em pequenas ou grandes quantias, para fornecer uma desesperada e necessária ajuda com suprimentos básicos para os afetados, onde cada vez mais há relatos de crimes contra a humanidade.

Sabemos que, para muitos, existem maneiras mais convenientes que vocês preferem para ouvir música, portanto, considerem a oportunidade de baixar essas faixas como um ato de caridade acima de tudo. As músicas e as letras falam por si. Precisamos que você fale por Artsakh.

Paz,
Serj, Daron, Shavo e John.”

Nenhum comentário