Serj Tankian: ‘Que se danem os vocais! Estou cansado deles!’

A nova edição de novembro da Expert Magazine, revista russa voltada ao entretenimento, traz uma matéria especial com Serj Tankian, abordando diversos assuntos, entre eles o lançamento que ocorrerá hoje (30) do filme The Legend of Kolovrat, com a trilha sonora produzida por Serj. Na entrevista, o vocalista do System of a Down fala também sobre os seus planos para o futuro. Separamos os principais trechos. Confira!


– Você está escrevendo músicas para filmes, ou talvez você estará criando seu próprio filme no futuro?

Serj: Estou aberto a qualquer inovação. Eu não posso compartilhar os detalhes, mas eu estou realmente produzindo. Está ligado a tudo o que tenho filmado há muito tempo, será no formato de um documentário. É uma maneira de eu contar uma história pessoal. Mais uma vez: estou aberto a criar filmes, mas agora estou mais focado em escrever as músicas para eles.

É difícil para você, um ilustre vocalista, estar envolvido na escrita de músicas para filmes sem as partes vocais?

Serj: Que se danem os vocais! Estou cansado deles. Ontem, quando eu estava conversando com um amigo, pensei: “Antes de eu começar a fazer música, eu era reconhecido principalmente como um poeta e vocalista”. Escrevia poesia todos os dias. Era o que eu fazia o tempo todo. Lancei dois livros de poesia. Na verdade, eu cheguei para a música com as palavras. Escrevi tantas letras que deixaram de ser interessantes. Não é que eu não tenha mais nada para abordar. Pelo menos eu tenho a certeza de que novas emoções irão sempre existir. A poesia sempre revela algo sobre você e promove a autodeterminação. É isso que eu tenho feito há muito tempo. Agora eu estou mais interessado em escrever músicas instrumentais.

Suas atividades e declarações públicas trouxeram resultados? Como você avalia tudo isso?

Serj: É uma pergunta muito boa. Quando você faz algo com o coração, não importa em qual esfera: política, social ou cultural, isso traz felicidade e também incentiva o crescimento pessoal, é o que eu almejo. Mas notei também um efeito visível nos projetos em que estive trabalhando. Por exemplo, na minha participação no System of a Down. O efeito pode não ser aparentemente imediato, talvez surja após vinte e cinco anos, nas esses resultados são reais, eles estão sendo feitos para refletirmos. Eu não sei como esse processo de consciência muda meu mundo, mas eu acho que me permite fazer as coisas de forma correta.

O que é mais importante para você agora?

Serj: Hoje, para mim, o mais importante é a minha família, meu filho. Passar o tempo com ele é mais precioso para mim do que qualquer coisa. Eu poderia apagar todas as minhas músicas por um de seus sorrisos. Ele é minha prioridade atual. E no campo da criatividade, existem muitas coisas que eu gostaria de fazer. Continuarei escrevendo música. E eu tenho mais algumas ideias, incluindo a criação de uma marca de café armênio, porque essa é uma das coisas que eu amo. Existem muitas atividades que eu gostaria de realizar. Vejamos para onde o caminho irá me levar.

postimage
Clique na imagem para ampliá-la.

Comentários (7)

  • Daniela Sala

    Por que eu não estou surpresa?

  • Washington Rayk

    Mike Patton no System Of A Down: eu apoio!

  • Carlos Henrique

    Album novo do System com Serj no vocal então ja era! o jeito é a banda caçar outro vocalista mas os fans talves nao iam aceitar isso facilmente.

  • babyarley

    Cara, se for por outro vocalista, soad vai acabar…mais se colocar outro coloca o Jonathan davis

  • cuzão do krl

  • cleison

    O que me irrita é que eles não falam nada concretamente. Fica tudo entrelinhas e nós ficamos tudo (???).

  • Denisson Santos Lorencao

    O próprio Shavo ao ser pressionado no intagran disse que a culpa é do Serj ele fica nesse vai e não vai, e a banda não se mexe, na minha opinião o S.O.A.D podia arrumar outro vocalista, já que, o Serj não liga mais pros vocais e não tem tempo para o S.O.A.D o mais correto é fazer isso. ainda temos um guitarrista excelente que praticamente fez 95 % das musicas que estouraram do S.O.A.D sozinho, temos um baixista que sempre consegue por uma sintonia incrível entre guitarra e baixo, um baterista que quando estava em seu auge fazia 20 percursos por segundo com uma mão chegando a ser eleito 2 vezes o melhor baterista do mundo e sempre aparecendo em boas posições em pesquisas sobre o melhor atualmente.
    O fato é que, Serj sim é muito bom, tanto que esta entre os vinte melhores de todos os tempos em tópicos relevantes, Mas se for pra ficar nesse vai e não vai e melhor arrumar um que vai e gravar esse álbum e voltar a por o S.O.A.D no lugar que ele merece no topo.