Há 14 anos, Serj Tankian lançava o ‘Elect the Dead, seu primeiro álbum solo

Serj Tankian (solo)

Em 22 de outubro de 2007, há exatos 14 anos, Serj Tankian lançava o seu disco de estreia em carreira solo, o memorável ‘Elect the Dead’.

Com diversas abordagens que vão da política ao amor, o disco conta com 12 faixas, incluindo uma regravação acústica de ‘Blue‘ – como bônus na versão especial, música originalmente gravada e lançada pelo System Of A Down na ‘Demo Tape 4’, de 1997.

Produzido nos estúdios da Serjical Strike Records, gravadora fundada por Tankian, o ‘Elect the Dead’ conta com as participações de John Dolmayan, do SOAD, Bryan Mantia, ex-baterista do Primus, do músico Dan Monti, que gravou linhas de guitarra e baixo, entre outros convidados nas seções de cordas.

“Ao fazer ‘Elect the Dead’, eu senti exatamente a mesma energia que tive ao gravar o primeiro álbum do System Of A Down em 1998, aquele senso de experimentação aberta, a ideia do tipo: ‘uau, estou realmente fazendo isso’. Eu estava vivendo, comendo e respirando essas músicas todos os dias. Eu acordava de manhã e o pensamento de trabalhar numa canção era tão poderoso que não conseguia me concentrar em nada mais. É definitivamente um disco de rock. É um álbum emocionante com muitos altos e baixos, começos, paradas e mudanças de ritmo. É depressivo, mas também inspirador; É jazz, mas também rock”, disse Tankian em uma entrevista em 2007, logo após o lançamento do disco.

O primeiro hit, ‘Empty Walls’, dá ao álbum um começo pesado e define o cenário para Tankian se desviar vertiginosamente entre uma série estonteante de emoções – raiva e desespero, tristeza e esperança – para um fundo denso e explosivo com guitarra, bateria pesada, óperas e ritmos de hardcore.

Há muita versatilidade, como no estilo de rap rock com infusão de jazz em ‘Praise the Lord and Pass the Ammunition’, nas linhas serrilhadas de ‘Beethoven’s Cunt’ e no hardcore gótico de ‘Money’. São apenas alguns dos diferentes ingredientes que temperaram a inebriante mistura musical de Tankian.

Relembre este épico disco abaixo!

Nenhum comentário