Serj Tankian: “A pandemia foi devastadora para mim de várias maneiras”

Serj Tankian (solo)

Serj Tankian conversou com Shelli Sonstein, do programa ‘Sonstein Sunday’, apresentado na rádio Q104.3, para descrever a tonelada de decepções e dificuldades ocasionadas pela pandemia de Covid-19. Tankian falou (via MetalSucks) sobre os projetos que teve de adiar devido ao caos global:

“Eu vivo entre a Nova Zelândia e os EUA. Estou nos EUA agora, mas estive na Nova Zelândia no ano passado na maior parte do tempo durante a pandemia. O governo da Nova Zelândia trabalhou incrivelmente bem e, por conta disso, voltamos praticamente à normalidade em alguns meses lá. Eles estão tendo uma pequena dificuldade agora com alguns casos, mas eles sabem o que estão fazendo. Então, voltei para Los Angeles no final do ano passado.

A pandemia, como todas as outras pessoas, foi devastadora para mim de várias maneiras. Tive 22 shows com o System Of A Down, duas estreias de filmes, duas exposições artísticas – tudo cancelado. Mas aproveitei para terminar algumas músicas novas, o que foi bom, como artista. Então, iremos lançar o EP chamado ‘Elasticity’ com cinco faixas de rock em 19 de março. E eu tenho algumas outras músicas chegando no final do ano.”


Com mais de 111 milhões de pessoas infectadas no mundo e mais de 2 milhões de mortes, o vocalista do System Of A Down vivenciou a perda de um ente próximo. Em entrevista anterior à Spin, Tankian contou que perdeu um tio de 86 em Nova York vítima do Coronavírus. Seus pais, ambos com mais de 80 anos, cumprem um rigoroso isolamento social nos EUA desde o ano passado.

“Meus pais estão lá [nos EUA]. Estou preocupado com eles, mesmo estando na Nova Zelândia. Voltarei em breve, estou muito preocupado com eles. Estamos em um momento difícil.”

Ao ser perguntado sobre a maior mudança que o músico gostaria que acontecesse nos tempos atuais, a resposta foi direta. Serj mais uma vez falou sobre a importância de criarmos novos hábitos sustentáveis para a melhoria de vida.

“Não há porra nenhuma de normalidade. Normal é a própria extinção da espécie no planeta. Se é isso que querem, divirtam-se. Prefiro ver nossos filhos e netos vivos. Vamos ajudar a criar um novo conceito de normalidade. Não podemos voltar à vida como costumava ser. Precisamos descobrir globalmente como reduzir o consumo, mudar nossos hábitos de vida, nossos hábitos alimentares e estar mais conscientes, como sociedade, em como iremos avançar. Isso também inclui se livrar desses malditos líderes corruptos e ignorantes ao redor do mundo. O planeta tem tempo para isso? Nós não temos tempo.”

Nenhum comentário